7 dicas para

condromalácia patelar

 

A condromalácia patelar é um amolecimento da cartilagem da patela, geralmente, em sua borda lateral. É mais comum em mulheres porque elas apresentam uma incidência maior de patela lateralizada. Além disso, está relacionada a alterações biomecânicas dos membros inferiores, como rotação medial da coxa e/ou rotação lateral da perna, perda de flexibilidade e/ou fraqueza muscular e problemas de pisada.

 

Assim, essas dicas são importantes para quem tem condromalácia:

 

1. Siga as orientações e o tratamento proposto pelo ortopedista porque o tratamento é lento. A cartilagem humana é o tecido mais lento para cicatrizar, sendo que o processo de divisão celular da cartilagem pode demorar 30 dias. Além disso, a cartilagem é avascular, ou seja, não é nutrida por vasos sanguíneos. Dessa forma, a nutrição das células de cartilagem (condrócitos) é feita através do líquido sinovial. Isso tudo faz com que o processo de recuperação seja em torno de 3 meses. Não adianta querer melhorar antes. Tome as medicações pelo prazo prescrito.

 

2. Evite dobrar o joelho mais de 90°. Quando se faz esse movimento, a pressão da patela contra o fêmur aumenta significativamente e isso “esmaga” a cartilagem. Por isso, evite exercícios de agachamento na academia e cuidado para não dobrar o joelho além dessa angulação nos outros exercícios de perna. Na academia, evite exercícios de perna com muito peso.

 

3. Faça os alongamentos de membros inferiores e cintura pélvica todos os dias. Melhorar flexibilidade é um trabalho penoso e requer disciplina para ser realizado todos os dias.

 

4. Faça uma avaliação fisioterápica e podopostural para a correção da sua pisada. Problemas de pisada podem levar a alterações dinâmicas que aumentam a pressão da patela contra o fêmur. Se o ortopedista indicar, não hesite em fazer essa avaliação. Se houver necessidade, poderá ser confeccionada palmilha para uso durante o dia e durante os esportes que ajudará bastante na recuperação. A fisioterapia também é fundamental para a correção dinâmica do movimento. Portanto, faça fisioterapia. A melhora não é rápida, mas acontece.

 

5. Na academia, solicite ao professor de educação física exercícios de propriocepção, de fortalecimento do glúteo médio e do vasto medial. Esses exercícios ajudam na estabilização dinâmica da patela e, portanto, na diminuição da hiperpressão patelar.

 

6. Evite atividades físicas de academia com muito impacto, como o body jumping e o body step. Além disso, atividades de dança também podem aumentar o impacto.

 

7. Evite atividades de ciclismo no início do tratamento e, após a melhora, a recomendação é de que se utilize bicicleta devidamente ajustada às medidas individuais.

 

© 2015 por Daniel Sabatini

Para marcar uma consulta

Guaçuí-ES (28)3553-1339

Muriaé-MG (32)3722-3196​